ABIH-AL se manifesta contrária à realização de feira no Corredor Vera Arruda

Para ABIH-AL, além da Feira ser realizada em local inadequado, causando trânsito e transtornos, ela aumenta a competitividade com os artesãos da terra, uma vez que muitos expositores são de outros estados.

A associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Alagoas (ABIH-AL) enviou nesta segunda-feira (19) um oficio para a prefeitura de Maceió e para os representantes da Secretaria Municipal de Turismo de Maceió e Secretaria Municipal de Segurança, para expor sua opinião contrária à realização da Feira Expo Brasil, que acontece este mês e no próximo, na Praça Vera Arruda.

Segundo o ofício enviado pelo presidente da ABIH-AL, Milton Vasconcelos, além da Feira ser realizada em local inadequado, causando trânsito e transtornos em uma via de acesso muito movimentada durante a alta temporada, ela aumenta a competitividade com os artesãos da terra, uma vez que muitos expositores são de outros estados. “O artesanato tem peças variadas, como o filé alagoano, redes, objetos feitos com palha e barro, couro, bolsas, acessórios, dentre outros, que envolve o turista com suas cores e formas, trazendo ao alagoano um retorno de seu trabalho desenvolvido com tanta dedicação”, diz o documento.

Segundo Milton Vasconcelos, a ABIH-AL tem o propósito de valorizar o que é do estado e o que traz retorno econômico aos alagoanos, principalmente aos produtores de artesanato local. “Um evento deste perfil além de trazer competitividade com nossas feirinhas locais, como a da Pajuçara e do Pontal, muitas vezes não estão dentro da legalidade, e isso gera perda de oportunidade de valorização e divulgação dos nossos produtos em detrimento a produtos de qualidade inferior e sem o trabalho manual e cuidadoso que tem nossos artesãos. Ou seja, é um tipo de evento que não agrega em nada a população local e aos turistas”, destaca.

O presidente da ABIH-AL salienta ainda que, uma vez que a prefeitura quisesse abrir espaço para feiras desse tipo, que fosse em locais adequados, como a praça multieventos. “Uma exposição desse porte em um local como a praça Vera Arruda causa muitos transtornos, além de levantar questões como a de segurança e visibilidade para os turistas. Na alta temporada nossa cidade fica lotada, e precisamos aproveitar a oportunidade para mostrar uma Maceió organizada e que valoriza seus moradores”, ressalta.